A série Brave Women entrevista

Joana Teixeira dos Santos

A Queijaria Verde

Aveiro, Portugual

A pandemia acabou por fechar as portas do café vegetariano que Joana havia aberto em 2016, mas foi ela também que trouxe de presente o que faltava para a criação de um novo negócio: uma queijaria artesanal 100% vegetal, com produtos feitos maioritariamente a partir de frutos secos. Além de conectado com seu desejo de criar algo que fortalecesse o comércio local e o senso de comunidade, a Queijaria Verde responde ao seu chamado, que conforme resume Joana é o de “ligar o meu mundo e o mundo à minha volta a hábitos mais saudáveis e mais sustentáveis com mais empatia e mais amor”. Tudo isso empreendendo sozinha e com uma filha de 2 anos. Uau!

Como você descreve o que faz? Conte um pouco sobre o seu negócio.

No momento, eu sou produtora de queijos 100% vegetais confeccionados de forma artesanal e promotora do estilo de vida vegano. Crio queijos e, além disso, dou formações para que também outras pessoas percebam o quão fácil e saudável é enveredar por esta opção alimentar. A Queijeira Verde chega às pessoas pelas minhas mãos, em formato box, cujo conteúdo é lançado semanalmente.

Como foi o começo? Você já sabia exatamente o que queria ou as coisas foram acontecendo mais organicamente, de uma forma evolutiva?

Esta ideia já andava na minha cabeça há algum tempo, mas foi ganhando forma durante a pandemia. Com toda a conjuntura da covid19, vi-me obrigada a fechar as portas de uma cafetaria vegetariana que abri em setembro de 2016, pioneira no universo vegetariano da cidade de Aveiro. Então, durante o confinamento empenhei todo o meu esforço e dedicação, geri o meu tempo e fui criando, passo a passo, A Queijeira Verde. Desde a imagem, à comunicação, às estratégias de Marketing e aos queijos propriamente ditos. Fiz ainda inúmeras formações que me pudessem nutrir de conhecimento para hoje estar muito mais segura no meu trabalho. Tudo, sozinha com uma bebé de 2 anos! Quando lancei A Queijeira Verde, em Maio, eu já sabia exatamente o que queria, mesmo estando consciente de que o caminho se faz ao andar. Por agora, corre muito melhor do que aquilo que eu alguma vez imaginei!

Queijo de Amêndoas e Piri-Piri Fermentado e Curado

Como é sua rotina de trabalho? Como é um típico dia de trabalho seu?

Por norma, o meu dia é bem preenchido, mas sempre no meu ritmo e, claro, ao sabor de todas as exigências que uma mãe de uma criança de 2 anos tem. Costumo acordar entre as 5 e as 6 horas da manhã. Pode não parecer, e eu não acreditava nisto até se tornar a minha rotina, as primeiras horas da manhã são hiper produtivas. Guardo, geralmente, um tempinho para a minha prática de ioga. Depois é cuidar da minha filha e levá-la à creche. Durante o dia é abrir a minha lista de afazeres e trabalhar como se o meu patrão fosse outra pessoa que não eu, com a vantagem de que posso pausar nas horas que eu quiser e agendar o trabalho como melhor entender. Mas ele tem que ficar feito!

Qual a melhor parte e a maior dificuldade relacionada ao seu trabalho?

A parte mais difícil, eu creio, é a gestão das redes sociais e responder a tudo em tempo útil. As mensagens e abordagens são, efetivamente, muitas e chegam tanto às 8h da manhã como à meia-noite, então, atender a tudo se torna difícil e, por isso, demorado. A parte mais bonita é ser eu a criar a vida que eu imagino para mim, é agendar os meus compromissos colocando-me a mim e à minha filha como centro de qualquer decisão, horário ou lugar. Ser dona do meu dia, da minha vida, inclusive financeira.

Queijo de Caju, Alho e Tomilho, combinação maravilhosa!

Qual o papel da criatividade na sua vida e no seu trabalho? O que significa para você viver uma vida criativa?

Na verdade, uma vida criativa torna-se, para mim, uma vida de possibilidades. No entanto, eu ressalto a importância de se estar bem do ponto de vista fisico e emocional para se conseguir ser criativo. É preciso, eu acho, um trabalho de desenvolvimento pessoal para conseguirmos viver uma vida criativa, porque, em muitos casos, uma pessoa é criativa mas depois tem uma série de aspectos que não consegue coordenar de forma a obter resultados (vem daí muita gente se considerar alguém não criativo ou não capaz de chegar a um resultado que gostava de ter na sua vida). O meu trampolim e alavanca foi o trabalho que tenho vindo a desenvolver com a minha coach Ana Patricia Goes, um exemplo de mulher que viu na maternidade uma mudança também.

Veja mais

Siga no Instagram ou FaceBook.