A série Brave Women entrevista

Ewa Brzozowska

Ewa Brzozowska Estampas

Radom - Polônia

Ewa é dona de uma coleção lindíssima de estampas infantis. Seu caminho até a descoberta do trabalho que a realizaria profissionalmente foi longo, mas o mais interessante é ver que mesmo com o curto tempo que tem - sendo mãe de dois, trabalhando de casa e dona do próprio negócio - ela consegue seguir desfrutando dos seus tantos gostos, experimentando o tempo todo. Da tecnologia ao macramê, Ewa mostra que existem muitas formas de levemente nos descobrirmos pelo caminho.

Como você descreve o que faz? Conte um pouco sobre o seu negócio.

Sou designer e ilustradora freelancer de estampas, "working-at-home-mom", morando na Polônia. Acima de tudo, crio estampas de tecido para coleções têxteis infantis. Desenvolvi um estilo totalmente fofo que funciona muito bem com roupas de cama e decoração de quartos de bebê. No meio tempo, também desenho algumas ilustrações, retratos e posters. Como uma fanática por tecnologia, trabalho apenas digitalmente - uso meu iPad Pro para criar arte vetorial e aquarela digital.

Como foi o começo? Você já sabia exatamente o que queria ou as coisas foram acontecendo mais organicamente, de uma forma evolutiva?

Sempre quis trabalhar na indústria criativa. Eu mesmo aprendi Photoshop e Illustrator quando era adolescente e decidi estudar TI e Design Gráfico. Depois da formatura, abri meu negócio freelance como designer gráfica. Tenho feito isso com sucesso há cerca de 7 anos, mas tudo mudou quando me tornei mãe pela primeira vez em 2015.

Eu estava pensando muito durante as minhas noites sem dormir e senti que precisava mudar algo na minha carreira. Eu descobri por acidente sobre um concurso de design de estampas em uma das lojas de tecidos poloneses. Eu não sabia nada sobre estampas, mas queria tentar, apenas por diversão e criei meu primeiro projeto. Imediatamente ele se tornou um grande best-seller, então comecei a pensar mais seriamente sobre esse caminho de carreira.

Levei cerca de um ano para desenvolver meu estilo, aprender o lado técnico da criação de estampas e começar a pensar nisso como um negócio. Eu conciliei o trabalho como designer gráfica, sendo mãe em tempo integral e escrevendo um livro sobre freelancer naquela época, então não fui capaz de dar grandes passos, mas fiz o que pude nesta área.

Em 2016 participei da feira Fast Textile como Expositora e prometi a mim mesma dar um salto no design de estampas caso conseguisse pelo menos um cliente lá. Funcionou totalmente. Comecei 2017 com um novo título no meu cartão de visita e uma lista cheia de clientes em potencial. Desde então, tenho conquistado o mundo dos têxteis infantis com meus designs fofos e não tão fáceis de soletrar o sobrenome ;)

Seu trabalho tão delicado e divertido

Como é sua rotina de trabalho? Como é um típico dia de trabalho seu?

Minha programação diária é atualmente ditada pelos meus meninos de 5 e 1,5 anos. Portanto, é sempre caótico, mas ao longo dos anos desenvolvi a habilidade de agarrar pequenos momentos e usá-los de forma produtiva. Eu gostaria de ser uma madrugadora, acordar às 5 da manhã e quebrar minha lista de tarefas antes do meu primeiro café - mas definitivamente não sou ;) Em vez disso, divido meu trabalho em blocos. Durante o dia tento fazer o máximo possível das coisas chatas (como e-mails, faturas, contratos, preparação de arquivos) para poder ser uma heroína criativa à noite. Não é fácil ser uma mãe que trabalha em casa, requer muita energia e paciência, mas vale totalmente a pena. A satisfação que ganho no trabalho me permite suportar as eventuais dificuldades da maternidade.

Qual a melhor parte e a maior dificuldade relacionada ao seu trabalho?

A melhor coisa do meu trabalho é criar algo significativo. Percebi que era isso que faltava no design gráfico - era apenas um negócio. Agora crio padrões que fazem as pessoas sorrirem, trazem de volta suas memórias e envolvem os bebês desde os primeiros momentos de suas vidas. Também posso usar meu trabalho para realmente ajudar outras pessoas - só este ano trabalhei pro bono para uma organização sem fins lucrativos que produz faixas e bandagens para bebês nascidos com HIE (encefalopatia hipóxica isquêmica) e doei dezenas de metros dos meus tecidos para máscaras para médicos lutando contra Covid-19. Usar meu talento para fazer o bem - é ótimo! Ao passo que, a coisa mais difícil do meu trabalho é ter boas ideias de plantão. Criatividade leva tempo, e tempo é o que sinto falta todos os dias. Eu gostaria de passar cada hora de forma produtiva, mas negócios criativos não funcionam assim.

Estação de trabalho de Ewa

Qual o papel da criatividade na sua vida e no seu trabalho? O que significa para você viver uma vida criativa?

Não consigo nem imaginar minha vida sem criatividade. Sou uma pessoa com múltiplas paixões, sempre crio - quando não trabalho, toco piano, faço crochê, faço tapeçarias de macramê, escrevo um blog, aprendo novas técnicas de desenho ou redecoro minha casa. Um dos mantras mais importantes da minha vida é “Crie antes de consumir”. Acredito que essa é a única maneira de ter uma vida plena e simplesmente se divertir com ela!

Também não consigo me imaginar trabalhando em um emprego não criativo. Parece uma perda de tempo para mim, sou uma criadora por natureza e quero manifestar esse estilo de vida para o mundo. Sempre incentivo as mulheres, especialmente as mães, a encontrar uma paixão, perseguir seus sonhos e ver o que acontece - quem sabe elas criem uma nova carreira, assim como eu?

Veja mais

Você pode ver mais sobre o lindo trabalho da Ewa aqui:

Site

Insta

Behance

Pinterest